Se não for para me fazer voar bem alto, nem tire meus pés do chão

Foto André Paterlini

APRESENTAÇÃO

 

Se não for para me fazer voar bem alto nem tire meus pés do chão” é o novo espetáculo do Coro Cênico do Bossa Nossa.

E o tema desse novo trabalho é recorrente, “bíblico” e sem data de validade, porque a eternidade nunca mais seria a mesma desde que o primeiro homem encontrou a primeira mulher e fizeram tudo que fizeram, continuam e... continuarão fazendo tudo in aeternum.

Se não for...” fala de homem e mulher, na tentativa de arranhar – para entender melhor! – a interminável novela sobre as relações deliciosas, buliçosas e... insondáveis entre os dois; entre UM e UMA.  “Se não for...”  canta uniões e junções entre O e A que acontecem a qualquer tempo em qualquer lugar.  São convivências e parcerias aventureiras,benevolentes, cândidas, desatinadas, enlevadas, furiosas, glamourizadas, harmoniosas, incensadas, justas, lancinantes, matreiras, notívagas, opressoras, parcimoniosas, qualificadas, romanceadas, sincréticas, telúricas, usurpadoras, virtuosas, zombeteiras... e muitas outras coisas!

Então... “se não for para me fazer voar bem alto nem tire meus pés do chão”... não me pegue, não me toque... não me provoque! ... deixa de conversa mole...  não te darei carinho nem afeto...

“Se não for...” o papo mostra que o casamento anda uma bosta...

“Se não for...” ouça, vá viver sua vida com outro bem...

“Se não for...” esquece o nosso amor, vê se esquece, porque tudo no mundo acontece...

“Se não for... “ a lua que no céu surgiu não é a mesma que te viu nascer nos braços meus...

“Se não for...” negue seu amor, o seu carinho, diga que você já me esqueceu...

“Se não for...”, preciso acabar logo com isso, preciso lembrar que eu existo...

Mas se for, e enquanto for!, que a comunhão seja plena, absoluta e leal; intensa e frequente; incondicional; voluptuosa... e tudo mais de direito, porque  sei que há de vir atrás, há de me seguir por todos os umbrais... eu sou o dedo e você é o meu gatilho... minha meta, minha metade, minha seta, minha saudade... nós somos fogo e gasolina...

Enquanto for, quero dentro da tua orelha fria dizer segredos de liquidificador... cavalgar por toda a noite por uma estrada colorida... quero ficar no teu corpo feito tatuagem...

Enquanto for, será um rio que passou em minha vida e meu coração se deixou levar... um dia em teu corpo de repente hei de morrer de amar mais do que pude...

Enquanto for, você deságua em mim, e eu, oceano... me dá tua mão, o teu desejo é sempre o meu desejo...

Enquanto for, você me dá água na boca, vestindo fantasias, tirando a roupa...

Enquanto for, seus olhos têm que ser só dos meus olhos, os seus braços o meu ninho...

Se for... eu preciso respirar o mesmo ar que te rodeia...  E enquanto me fizer voar bem alto, enquanto nas nuvens estiver... de tudo ao meu amor serei atento antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto, que mesmo em face do maior encanto, dele se encante mais meu pensamento...

 

 

 

 

PROGRAMA DO ESPETÁCULO

 

LUZIA – Itamar Assumpção. *

VALSA BRASILEIRA – Chico Buarque. ****

FOGO E GASOLINA – Pedro Luís e Carlos Rennó. ****

SE VOCÊ JURAR – Ismael Silva, Nilton Bastos e Francisco Alves. ****

INCOMPATIBILIDADE DE GÊNIOS – João Bosco  e Aldir Blanc. ****

FIM DE CASO – Dolores Durán.****

NERVOS DE AÇO – Lupicínio Rodrigues.** 

CADEIRA VAZIA – Lupicínio Rodrigues e Alcides Gonçalves. ****

MEU AMANHÃ – Lenine. ***

EU SÓ QUERO ACABAR COM VOCÊ – Validuaté. ****

MIL PERDÕES – Chico Buarque. ****

A NÍVEL DE – João Bosco e Aldir Blanc. ****

SAMBA DE AMOR E ÓDIO – Pedro Luís e Carlos Rennó. ****

 

* Arranjo de José Gustavo Julião de Camargo

** Arranjo de Adriane Biagini

*** Arranjo de Adriane Biagini e Daniel Silva

**** Arranjo de Celso Branco

 

 

 

 

FICHA TÉCNICA

Elenco:

Adriane Biagini

Bia Ferreira

Christopher Moreira

Daniel Silva

Fabiano Rangel

Fernanda Cecchi 

Odônio dos Anjos

Rita Ignácio

 

Direção Musical: Adriane Biagini

Assistentes Musicais: Fernanda Cecchi e Rita Ignácio

Trilha Musical: Eduardo Loja

Concepção, Espaço Cênico e Encenação: Magno Bucci

Assistente: Renata Gattás

Adereços: Dino Bernardi

Fotos: André Paterlini

Figurinos: Coro Cênico Bossa Nossa

Produção: Odônio dos Anjos e Fabiano Rangel

Estagiário bolsista PRCEU/USP: Victor Carpini